Blog do Casal Safado


07/02/2010


UM CONTO REAL DO MEU AMIGO CARLOS

Me chamo Carlos e moro em uma vila no interior do estado do Amapá. Sou funcionário publico e como não existe nenhuma agência bancária nessa vila, tenho que me deslocar até a Capital, Macapá para receber meu salário. Numa dessas idas a Macapá resolvi ligar para um amigo e parabenizá-lo pela passagem de seu aniversário. Como já havia um tempo que não o via, ele me convidou para tomar uma cervejinha em sua casa, convite que aceitei com maior prazer. Edson, esse meu amigo, tinha uma mulher que é um espetáculo, loira muito gostosa e bonita, bumbunzinho arredondado e seios firmes, de tamanho médio, uma delicia de mulher. Todas as vezes que via essa mulher me dava uma vontade de fodê-la. Ela sempre se insinuava para mim com olhares provocantes, mas nunca passou disso.

Na noite em que fui a sua casa, ele tinha comprado um caixa de cerveja importada da Venezuela, caixa com 24 latinhas, e começamos a beber. Conversa vai conversa vem, foi proposto por ele um jogo de palitinhos e o perdedor bebia em um só gole a metade da cerveja e a outra metade beberia os outros dois. O primeiro a perder fui eu, então bebi a primeira metade e foi assim por varias rodadas. Em certo momento, Edson propôs mudança na regra do jogo. O perdedor tiraria uma peça de roupa. Achei aquilo estranho e sentiu uma sacanagem no ar. Os dois trocaram olhares e percebi a jogada. Aquela loira gostosa queria ser fodida por nos dois. E aceitei a regra.

A primeira rodada foi perdida por ela, então tirou a primeira peça de roupa, sua blusa. Aquela vadia safada estava sem sutiã e logo ficaram expostos seus seios. A coisa mais linda que já vi. Olhei para Edson e ele deu um sorriso safado. O jogo continuou e pelas rodadas seguintes só eu e Edson perdíamos, eu estava doido de vê aquela loira safada pelada, mas ela não perdia. O primeiro a ficar completamente pelado foi meu amigo. Fiquei com vergonha quando vi o tamanho da rola dele, uns 24 cm e a minha só 17 cm. Uma rola grande, grossa e bonita. Como eu gostaria de ter uma rola igual aquela.

Depois que eu perdi a próxima partida, Edson disse que já estava cansado de jogar e queria fuder aquela loira. Ele era um moreno forte e sarado, ela uma mulher pequena, ele pego-a sem muito esforço e a levou para cama e me perguntou se eu ia ficar sozinho na sala e me convidou a ir para o quarto. Fui ao banheiro primeiro, pois a vontade de urinar era grande, depois da grande quantidade de cerveja que tomei. Quando cheguei ao quarto à loira esta chupando a rola do Edson. Fiquei com um tesão tão grande que minha rola endureceu em poucos segundos. Aquela cena me deixou louco, eu olhei para ela e com um sinal de vem cá, eu fui em direção a sua xana. Que coisa mais linda, rosada, pequena depilada. Cai de boca e com muita sede ao pote. Ela disse que eu tivesse cama, pois aquela boceta não iria sair dali tão cedo e que nos teríamos toda a noite para nos divertir. Edson pediu que ela chupasse minha rola. E ela então começou uma chupada fenomenal, parecia que minha pica estava enterrada em uma bocetinha virgem. Ela chupava tão bem que parecia que eu estava metendo em uma boceta. Não demorei muito pra esporrar em sua boca. Foi uma enxurrada de porra, visto que, eu não transava e nem socava uma a mais de duas semanas. Ela não desperdiçou nenhuma gota, engoliu todinha.

Recompus-me do gozo e logo meu pau tava duro de novo. Só de vê aquela rola imensa rasgando o cu daquela loirinha, ela gemia e gritava de tesão dizendo, me fode seu safado, come o cuzinho da tua mulher, come. Ela olhou pra mim perguntou se eu ia só ficar olhando e pediu que metesse em sua buceta. Fui muito bem mandado. E logo ela estava levando duas rola. Ela não parava de gritar coisas como: me arromba o cu, me esfola a buceta, quero sair daqui toda ardida seus caralhos.

Nunca pensei que aquela coisinha miúda agüentasse uma roa tão grande e grossa quanto à rola do Edson, mas ela já estava acostumada, eles já estavam casados há mais de oito anos. Não demorou muito ela deu um urro de prazer, foi uma gozada inesquecível, disse ela, a melhor gozada de sua vida. Mas ela queria mais, pediu que nós metéssemos as duas rolas em sua buceta, fiquei surpreso mais foi possível, Edson ficou por baixo, e ela sentou em sua rola, eu me cheguei por cima e meti também, ficou um pouco desconfortável, mas o desejo dela foi realizado. Ela gritava, quero mais rola, quero outra rola, num desespero sem fim, enquanto minha rola entrava a do Edson saia e ficamos nesse vai e vem constante e logo ela gozou de novo. Mary, esse era seu nome, tinha uma facilidade muito grande pra gozar.

Então, depois disso ela disse que queria tomar leitinho de novo e pediu que punhetasse pra ela. Comei uma punheta frenética e logo gozei. Meu esperma se espalhou pelo rosto dela e como ela não queria perder nenhuma pequena porção enviou minha rola em sua boca e bebeu o restante. Enquanto ela estava mamando minha rola, Edson fodia seu cú de novo. Mary me pediu pra chupar sua buceta e assim que Edson estava prestes a gozar, tirou sua enorme rola do cu dela e levou direto a boca pra ela tomar mais leitinho. Eu continuava chupando sua buceta. Edson saiu para lavar sua rola e logo voltou. Nós éramos dois paus mandados, fazíamos tudo que Mary mandava. Ela disse ao seu marido, me come meu corninho, quero tua pica na minha buceta, e ele ainda com a pica meio mole foi logo introduzindo meio sem jeito na buceta dela. E você, disse ela pra mim, chupa meu grelinho. Não gostei muito da idéia, pois a rola do Edson estava em sua boceta, mas como o tesão era maior, resolvi obedecer. Cai de boca no grelinho. Achei aquilo estranho, pois sempre a rola dele tocava em minha boca, mas acabei gostando, fiquei com um tesão maior ainda e de propósito Edson enviou sua rola em minha boca e acabei chupando aquela rola. Senti um prazer maior ainda com aquela rola gostosa preenchendo toda a minha boca. Em um determinado momento eu não queria mais largar aquela delícia de rola. Então ela disse: um viadinho e um corninho, fiquei super excitado quanto ela me chamou de viadinho, no impulso do momento, resolvi que queria sentir aquela rola em meu cu. E pedi que ele me comesse. Sem demora, Edson deu uma cuspinha na cabeça da rola, espalhou por toda sua extensão e me meteu a vara. Eu dei um grito de dor, ai como doía, Pedi que ele colocasse devagar, e ele foi com mais calma. Então comecei a relaxa, quando percebi, depois de muita dor, a rola dele estava todinha dentro do meu cu, e já não sentia mais dor, só prazer. Pedi para Mary chupar meu peito esquerdo, o qual tenho uma grande sensibilidade e comecei me masturbar. As estocadas da rola do Edson num vai e vem frenético no meu cu, as chupadelas de Mary no meu peito e eu me masturbando me proporcionamos a gozada mais gostosa da minha vida. Nunca gozei tão gostoso assim em nenhuma buceta. Depois disso, toda vez que ia a Macapá, comia e Mary e levava rola do Edson, foi assim por sete anos. Hoje não mora mais no Amapá e só fico na saudade daquela dupla dinâmica da sacanagem. Mas eu tenho outra historia pra contar, mas fica pra próxima. Não pense que eu deixei de dá o cú, hoje sempre que encontro um casal assim tipo esses dois, sempre dou um jeitinho pra ser enrrabado pelo macho. Agora sou bisexual, mas tenho preferência por rolas grandes e grossas. Buceta? Pode ser qualquer uma!

 

Escrito por Samantha e Jhonny às 01h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

História de uma amigo nosso...

No dia seguinte acordei com uma mensagem no celular de Samantha dizendo que havia amado a noite que passamos e me convidando para almoçar. Era por volta das 8hs da manhã, mas nem dei bola, dormi mais um pouco, depois fui pra praia. Voltei por volta das 11hs e vi que tinha outra mensagem dela perguntando onde eu estava e que ela queria me ver. Decidir responder escrevendo que só iria sair com ela nas condições que havia dado no dia anterior de tratá-la como uma puta de segunda categoria. Nem bem enviei a mensagem e já recebi a resposta com os seguintes dizeres: faça-me tua escrava, acaba comigo, sou uma puta, ou melhor, Sua puta. Mandei outra dizendo, venha me buscar ao meio dia e meia e venha bem gostosa, amo roupa justa e salto. Fui tomar um banho e meu pau já estava bem duro imaginando como ela viria. Após o banho fui me arrumar, o tempo estava mais nublado, garoando intensamente e um vento frio colocou uma calça jeans, tênis e camiseta, bem básico. Como estava bem queimado de sol coloquei uma cueca boxer branca que deixa a silhueta do pau bem definida, mostrando desde onde parte as bolas até a cabeça dele que chega ao umbigo.

Ouvi a buzina do carro de Samantha e fui até lá, corri um pouco, pois a chuva havia apertado, quando entrei, nossa, fiquei louco, vou descrevê-la: ela estava com uma blusinha preta bem justa, decotada que deixava exposto o contorno lateral de seus seios, as sardinhas em seu peito estavam ainda mais sexy. A calça acompanhava a blusa, uma calça justa, acho que lycra, preta também, justa, bem justa, até o tornozelo, e seus pés estavam em um sapato de salto alto de acrílico, ela percebeu e disse, acho que estou vestida como uma puta? com certeza. Para completar seu cabelo estava preso, um rabo de cavalo bem alto. Sentei do seu lado, o carro ainda estava parado, desabotoei minha calça e baixei um pouco, expondo o volume em minha cueca branca, meu pau envergava a cabeça chegando no final da lateral da minha perna, passei meu dedo da cabeça até as bolas dizendo?Sua puta, este cacete duro é pra você usar hoje, aproveita. Fui mais para o centro do banco, praticamente sobre o freio de mão (rs), a pega pela coxa e coloquei-a sentada sobre mim, de frente, deixando um joelho em cada banco, e mandei?mexe, esfrega esta buceta no meu pau. Pra meu delírio ela me contou que estava sem calcinha, e deu pra perceber, pois, apesar deu estar de cueca e ela de calça de lycra a cabeça de meu pau entrava em sua buceta quente. Encaixados começamos a nos beijar loucamente. Queria foder ali, mas não dava a tirei de cima de mim e fomos almoçar. Chegamos ao restaurante, bom nível, mas estava vazio, acredito que por conta da chuva. Escolhemos uma mesa isolada. Para não parecer que estávamos juntos levei seu notebook para fingir que estávamos ali a negócios. Nem sei se precisava, pois onde ficamos só tinha um garçom e que estava vidrado nos peitos dela.

Pedimos a comida, e o garçom disse que demoraria um pouco. Logo senti que seus pés tocavam meu pênis sobre a calça. Ainda bem que a toalha era grande e não dava pra perceber. Desabotoei o zíper discretamente, colocando meu pau pra fora, a mandeiela tirar a sandália e me acariciar com os pés. Que delicia de pés macios, ela encostava todos os dedos e os tencionava para baixo, apertando a cabeça que latejava, fui ficando cada vez mais molhado e melando os pés dela. Ai eu disse?Agora chupe seus pés que quero ver? Olhei em volta, o garçom estava de frente para nós, a mandeiela esperar, mas logo ele foi para a cozinha, e então Rosângela enfiou seus dedinhos na boca. Que tesão. Peguei uma caneta e joguei embaixo da mesa, me agachei enfiando a cara debaixo da mesa e escondido pela toalha pegou o pé dela e chupei também, toda a sola e todos os dedinhos. Mas não demorei muito e levantei. Sentamos e ficamos só papeando. Elogiei muito ela, era linda demais, você é maravilhosa, uma loira divina, mas ta aqui corneando seu marido, é uma puta, uma puta deve ser tratada como puta. Na hora senti que peguei pesado, mas fazia parte do trato, vi seu olho lacrimejar e disse para ela relaxar, se deixar experimentar algo novo, ela fechou o rosto e disse isso mesmo, sou sua escrava, me ensine tudo. A comida demorava demais, decidi pedir pra embrulhar e iríamos comer na sua casa. Enquanto o garçom foi providenciar perguntei onde era o toalete e fui, quando estava quase chegando virei e com o dedo chamei Samantha. Ela veio, que tesão de loira. Entrei no banheiro masculino, vi que não tinha ninguém e mandei-aela entrar foi logo pra uma das privadas e tranquei a porta. Fiz um laço com a mão em seu rabo de cavalo e falei, agacha e me chupa, ela se sentou na privada, dei um tranco leve em seu cabelo, agacha sua vadia, não mandei você sentar. Ela agachou, abriu o abriu minha calça, baixou minha cueca e engoliu meu pau, na hora a mandeiela parar, disse que sua boca estava seca demais, puxei seu rabo de cavalo pra trás, sua cabeça inclinou e seu rosto ficou me olhando de baixo, cuspi (só saliva, claro) em seu rosto, passei meu pau no cuspe, esfregando na sua cara, e enfiei em sua boca, fiquei enfiando e tirando, ela dava umas engasgadas. Mandei parar, disse que estava seco de novo e mandei-aela cuspir no meu pau e chupar em seguida. Ela chupou de novo. Puxei-a pelo cabelo, e beijei bem gostoso, com muito carinho. Apesar da permanência no banheiro terem durado uns 2 minutos precisávamos sair logo. Sai, vi que não tinha ninguém e chamei-a, que saiu e foi direto pro banheiro feminino. Fui para a mesa, sentei e esperei-a. Logo ela chegou, pegamos a comida e fomos pra sua casa.

Chegamos lá, descemos e assim que entramos abri minha mochila e peguei uma destas coleiras de sex shopping e coloquei em seu pescoço. Comecei a andar e puxei-a pela coleira, perguntei quem morava na casa, ela me explicou que ali só passavam férias, ela, o marido, e duas filhas, uma de 19 e outra de 14 anos. Mandei ela me levar até o quarto da filha, subimos a escada para o andar de cima, e chegando lá eu falei,quero você andando de quatro agora. Ela ajoelhou e me obedeceu, e foi assim até o quarto da mais velha. Entrei e sentei na cama, vi que tinha varias fotos num mural, que filha linda e gostosa. Pedi umas fotos para ver, ela me deu, fiquei olhando e falei, bate pra mim enquanto penso na sua filha. Ela ficou um pouco horrorizada com a situação, mas obedeceu, tirou bem pau pra fora e ficou batendo, enquanto eu olhava as fotos da sua filha. Terminei de ver as fotos e falei chega, vamos para o próximo quarto. Ela me levou, por incrível que parece, vi as fotos da sua filha mais nova e ela era ainda mais gostosa, com uma bunda imensa e redonda, disse pra ela, vou ver a fotos dela e você já sabe o que fazer, ela ficou quieta e ai disse?Não sei, acho que isso não é legal. Disse pra ela?Ok, se não quer to indo, mas terminei a frase e lá estava ela acariciando meu pau com sua mão, achei uma foto de sua filha de bikini, coloquei a foto ao lado do rosto de Rosangela e falei-me chupa que vou imaginar ela chupando. E claro que me chupou.

Agora estava na hora do banquete, peguei a coleira e levei-a até o quarto dela e do marido?Rosângela fique nua, suba na cama e fique de quatro pra mim, e rebole, e diga as coisas mais secretas que quer que eu faça, lembre-se, você é uma puta de segunda, um lixo de mulher. Assim ela ficou completamente nua, de quatro sobre a cama, rebolando eu rabo pra mim, que bunda deliciosa. Levantei, fui até a cabeceira da cama, peguei uma porta retrato com a foto dela e do marido, puxei eu rabo de cavalo e fiz ela olhar pra foto, me provoca com sua bunda olhando pra foto do seu marido, coloque uma mão em cada nadega e abra,deixe seu cuzinhos exposto e peça aquilo que você tem medo de querer. Voltei e sentei só olhando aquela bunda aberta, sua buceta estava pingando, e ela começou a dizer?Bruno fode meu cuzinho, fode aquilo que guardei pra você. Disse pra ela: acha que uma puta fala assim? Melhore este vocabulário. E ela?olha meu cu arreganhado querendo você, vem-me fode, me arregaça, eu vou dar meu cu olhando pro idiota do meu marido. Levantei, fui caminhando até lá, ela se arreganhava com as mãos, então cai de boca eu seu cuzinho, beijava, lambia, enfiava a língua, parecia que eu estava chupando uma laranja, assim fiquei por talvez uns 10 minutos, ela gemendo, enquanto eu chupava seu cu fui colocando a camisinha, parei de lamber, e coloquei a cabeça do meu pau na porta de seu cu. Fiquei brincando, girando a cabeça nele, e comecei a brincar de enfiar um pouquinho, 1 centímetro e saia, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, nesta altura estava metade no meu pau entrando, mas ai é a hora que ele engrossa bem, tirei o pau e disse,morda seu travesseiro que talvez isso vá doer, puxei eu rabo de cavalo, e fui enfiando meu pau lentamente, sem vai e vem, enfiei 1, 2, 3, 4 e até os 20 cm, enfiei tudo, meu pau estava todo La dentro, e deixei-o parado, ela soltou a boca do travesseiro e começou a gritar, dizendo que era gostoso, mas que dois demais, a mandeiela ter calma, ainda meu pau estava imóvel e inteiro lá dentro, encostei meu rosto nas suas costas e passei a beijar, enquanto isso minhas mãos acariciavam seu corpo, e então ela foi relaxando, e começou a dizer que era gostoso. Agora sim passei a socar, enfiava tudo e tirava tudo, sentindo eu cu piscar. Ela se contorcia, apertava o lençol com as mãos, daí então enquanto socava fundo coloquei meus dedos em sua buceta e comecei a bater pra ela, seus gemidos se intensificavam, assim como a chuva que engrossava, e então ela começou a falar?isso, bem ai, nossa que sensação estranha, parece que você ta me rasgando, isso,acho que vou, vou, isso, aaaaaahhh. Ela começou a gozar, seu cu começou a esmagar meu pau e eu não para de socar e de bater pra ela, sua pernas amoleceram e ela deitou na cama, continuei socando ela me pedindo pra esperar e eu não continuamos, com força, e batendo, ela pedindo pra dar um tempo, com o outro braço dei uma gravata em seu pescoço, e socando cada vez mais forte e ela: ai, ai meu deus vou gozar de novo é isso, ahh, ahh. Parece que gozou ainda mais desta vez, mas continuei porque senti que ia gozar, a mandeiela abrir bem à bunda e comecei a jorrar. Ao fim tirei meu pau, tirei a camisinha com cuidado pra não derrubar a porra, a mandeiela virar de barriga pra cima e abrir a boca, ela abriu e despejei o conteúdo da camisinha, praticamente sentei em seu rosto com meu pau dentro da sua boca,engole, engole tudo e chupa.

Ela engoliu tudo, meu pau ainda estava duro. Mas queria beijar sua boca e assim fiz. Ficamos nos beijando por muito tempo. Ainda eram 16h30min. Hora da banheira... Continua

Escrito por Samantha e Jhonny às 01h27
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

HISTÓRIA DE UM CASAL AMIGO NOSSO!!!

No início de casamento sempre aquele fogo, mas com o tempo só fica a brasa. Por uns tempos naveguei bastante em sites pornôs, mais por curiosidade mais acabei percebendo que isso aquecia a vida sexual em casa. Nessas andanças cheguei a me imaginar com dois homens, mas logo parei de me interessar porque imaginei que meu marido não aceitaria isso nunca, assim como não o aceito com outra.

Ledo engano, anos depois não me recordo como, ele me falou que adoraria me ver transando com outro cara. Demorei para reconhecer que já havia pensado nisso, a vergonha era maior. Anos transando à base de imaginação. Muito fácil encontrar garota de programa, mas garoto é raro, no interior pelo menos.

A vontade existia, mas imaginar o antes do ato deixava envergonhada. Como seria? Quem seria?

Decidimos que uma ida a um clube de swing seria a melhor alternativa. Se rolasse o ménage muito bem, senão a curtição a dois estava garantida.

Coloquei uma bela e pequena lingerie preta, daquelas calcinhas q são abertas em baixo, aquelas fitas q ficam no meio da coxa, um salto alto e pra arrematar, o sobretudo.

O álcool tem q ser na medida certa, só pra relaxar porque se passar disso dá sono mesmo. Clima de boate, luzes, som, casais, solteiros e lá vamos nós apreciarmos os outros.

Num quarto/sala estava um casal, ela muito competente, ele dono de um belo e duro pênis. Ver os dois transando em várias posições, fazendo 69 e ela sendo chupada de forma que os outros pudessem ver era muito excitante.

Minha calcinha com a abertura já estava molhada, imagina a minha buceta. Eu sentia meu marido me acariciando por cima do sobretudo mesmo, mordendo meu pescoço e com seu pau hiper duro. A vontade de dar pra ele era enorme, nem lembrava q o objetivo inicial era encontrar o terceiro elemento.

Como homem só é devagar quando interessa a eles, meu marido já estava fazendo contato visual com um moço q não tirava os olhos de mim. O rapaz deve ter entendido que ali havia uma permissão.

Fomos mais adiante e encontramos um quarto/sala mais restrito, recuado e foi lá q eu e meu marido começamos a nos beijar, acariciar e transar.

O fato de ser um local mais reservado me deixava mais relaxada, mas a idéia de ter alguém ou várias pessoas nos olhando me excitava.

Ele me beijou todinha, me chupou toda, deixou minha buceta latejando. Deixei-oele chupar meu cuzinho, coisa q nunca deixo. Chupei o pau dele como há muito tempo não fazia. Gozamos só com essas brincadeiras. Isso tudo sem q eu percebesse q o rapaz q nos olhava antes estava ali observando tudo de pinto duro.

Eu e meu marido começamos novamente a nos aquecer. Ele pegou a cinta do meu sobretudo e amarrou meus pulsos junto à cabeceira da cama e falou "agora vou judiar de vc". Enquanto ele fazia isso eu percebi a presença do rapaz. Um frio na barriga foi imediato, mas era pra ser vista e ver q estávamos ali.

Meu marido voltou a me acariciar e com um olhar dele o rapaz começou a se aproximar. Eu não sabia se sentia medo ou tesão. Ali amarrada (claro q eu poderia me soltar com um pouco de esforço, mas pra q se soltar rs) e vendo o rapaz se aproximar.

Meu marido veio me beijar na boca, acariciar meus cabelos, sussurrar no meu ouvido "se vc não quiser é só avisar". Nisso o rapaz já estava beijando meus pés delicadamente e subindo vagarosamente. Eu estava com as pernas fechadas, ainda um pouco tensa, mas ele era bastante sutil e os poucos beijando minhas coxas foi abrindo minhas pernas. Até q ele alcança minha boceta.

Que língua era aquela, como ele chupava bem, ele lambia suavemente, acariciava minhas nádegas e eu gemendo de prazer. Meu marido alternava entre beijava minha boca e beijar meus seios com leves mordidinhas.

O rapaz então tira as calças e cueca e vem esfregar seu pinto na minha buceta. Que delícia, pra cima e pra baixo, passava ele na porta do meu cuzinho até q não agüentei e pedi pra ele me foder. Ele colocou a camisinha e veio cuidadosamente enfiar seu pau na minha boceta. Meu marido aproveitou q eu estava amarrada e enfiou o seu pau na minha boca. Não demorou muito para que eu gozasse e os dois tb.

O rapaz muito discretamente se vestiu e saiu.

Um pouco de vergonha é claro que ficou, fomos embora quietos mas felizes.

Escrito por Samantha e Jhonny às 01h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

22/01/2010


Mais uma história de Samantha!

Ola !! eu sou a Samantha!! hoje eu vou contar como o meu tio comeu minha bunda!!Com eu já falei antes eu dei muitas vezes para o meu tio!!(marido da minha tia) cada vez que ia passar um final de semana no sitio deles era o meu tio que me levava de volta de camionete!!era a minha tia que pedia pra ele me levar de volta, pois era longe pra voltar a pé!!As vezes o meu primo me levava!! cada vez que o meu tio ia me levar eu escondida da minha tia eu ficava sem calçinha para o meu tio ficar louquinho!!((eu era terrível)) nesta vez o meu tio parou o carro no mesmo lugar de sempre e começou ame chupar e eu ele, ate que certa hora ele falou!! qualquer dia eu vou comer a sua bundinha, viu sua putinha!! na hora me deu o maior tesão e eu falei!! pq não come agora tio??!! eu nunca tinha dado pra ele pq ele nunca tinha me pedido!! ai ele falou!! a é?? vc quer que como sua bundinha agora é?? putinha safada!! os palavrões me deixava excitada!! ai ele falou depois que eu chupei o pau dele e ele chupou a minha xotinha!! fica de joelho em cima do banco de bunda pra mim.. eu fiquei de bunda pra ele de joelho em cima do banco e ele foi por traz, e começou a cutucar o pau na minha bundinha!!e queria meter com toda força,, ai eu falei!! calma tio!! eu segurei o pau dele e comecei e esfregar no cuzinho e falava!! e assim tio!!.. tem que lubrificar bem!!eu colocava a cabeçinha e tirava, e foi lubrificando o meu cizinho!! ate que certa hora o meu cuzinho estava bem lubrificado com o liquido que saia do pau dele, e eu dei uma forçadinha e a cabeça entrou tudo.. tirei e coloquei mais algumas vezes, e quando eu forcei com tudo, o pau foi deslizando pra dentro e entrou tudo, e o meu tio começou fazer o vai e vem e dizendo.. que cuzinho gostoso.. minha putinha..!!pegava-me pelo meu quadril e puxava com toda força e o pau enterrado no meu cu fazendo vai e vem e eu morrendo de tanto gozar!! de repente o meu tio deu um baita gemido e começou a encher de porra quente o meu reto, era tanta porra que quando ele tirou o pau saiu um monte de porra junto com o pau !! e eu adorava sentir os jatos quentes dentro do eu cuzinho!! que delicia!! ele se saciou e eu tb saciada sentada no banco saindo porra da minha bunda!! quando ele me soltou em casa eu olhei e vi o banco do carro todo sujo de porra que tinha saído do meu cu!!que delicia!! ai que delicia!! 


Escrito por Samantha e Jhonny às 22h38
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 

Desafiei mulheres casadas ou noivas com casamento marcado a experimentar um perigo quase real de serem vistas por seus maridos ou noivos transando com outro. Dizia que era tudo completamente controlado e que o perigo era realmente só a sensação. Espantei-me com a quantidade de e-mails que recebi. Achei que seria interessante continuar a brincadeira, ou transformá-la em algo muito maior que uma brincadeira...
Imprimi os e-mails e levei pra minha casa, li com calma e em, em especial, me interessou demais. Seu nome era Juliana, era noiva com casamento marcado. Seu texto tinha muita hesitação nas palavras, tinha medo, receio, e isso me deixou muito intrigado. Ela devia ter muito desejo de fazer algo desse tipo, pois, mesmo com todo esse medo, ela me procurou.
Liguei imediatamente meu computador e respondi ao seu e-mail. A resposta veio tão rápida que imaginei como ela estava ansiosa, grudada ao computador aguardando meu contato. Nos provocamos durante algumas semanas, por e-mail, depois pelo Messenger. Ela se sentiu muito à vontade e falávamos muitas coisas muito excitantes. Então chegou a hora de fazer o convite à realização de nossa brincadeira. Disse que não diria como seria nossa noite. Nem se aconteceria à situação de perigo de ser pega na primeira vez...
Ela concordou e saímos para nos conhecer. Nesse dia nada rolou, a não ser muita sedução e jogo de charme dos dois lados. No final, foi impossível não nos beijarmos na despedida. Ela era uma morena lindíssima, cabelos negros magra, enfim, linda. Ela ficou muito inquieta com o beijo na porta de sua casa, mas correspondeu mesmo assim com muito desejo. Disse que as coisas aconteceriam assim, naturalmente e de vagar, mas na verdade meus planos eram outros. No próximo encontro ela teria uma surpresa. Passei algumas semanas sem marcar o encontro. Queria ela louca e ansiosa. A provoquei bastante pelo MSN. Também estava louco de tesão por toda essa situação, mas precisava ter controle sobre mim e sobre a situação.
Marcamos e fomos jantar numa terça-feira em um gostoso restaurante italiano. Bebemos vinho e ela ficou bem solta, ainda mais que da outra vez. Na volta ela estava muito alegre e distraída. Estava sentada de lado no banco do carro virada para mim e conversava fazendo carinhos no meu cabelo e rosto, como namoradinha. De repente tomou um enorme susto quando descobriu que estava na rua do seu noivo. A surpresa aumentou quando parei em cima da calçada, bem em frente à casa dele. Ela pirou, pediu, por favor, para eu ir embora. Eu arranquei com o carro, parei numa rua deserta e mandei ela descer, secamente. Ela muito assustada desceu, pensando que eu a tinha posto para fora. Desci do carro também e pedi:
- Me empreste sua bolsa, por favor.
- O que?
- Por favor. Me dê sua bolsa um minuto.
Joguei a bolsa dentro do carro e perguntei:
- Me diz em que banco está sua bolsa. Diga-me e eu vou embora.
Ela tentou olhar para dentro do e não conseguia ver nada. Meu carro tinha filmes muito escuros para se enxergar à noite. Ela sorriu e entendeu o que eu queria dizer.
- Não faço nada que não esteja totalmente sob meu controle, Juliana. Agora entre no carro e confie em mim.
Ela entrou indecisa e sorriu quando viu sua bolsa bem próxima, e precisou tirá-la para sentar-se.
Dei a volta no quarteirão e parei novamente na frente da casa de seu noivo. Quando começamos a nos beijar e acariciar, ela ficou louca. Tudo aquilo estava fazendo o efeito que esperava nela. Ela realmente tinha uma enorme tara em trair seu noivo e que fosse algo muito próximo dele perceber. Ela me acariciava por cima da calça, nossos beijos já se encontravam somente em alguns momentos, pois nossas bocas estavam freneticamente se movimentando pelo pescoço, ombros, orelhas. Nossas mãos já procuravam pequenas partes do corpo por baixo das roupas. Essas foram caindo uma a uma no banco de trás. Sua camisa, sapatos...
Juliana montava em mim com sua saia rodada se movendo como se eu estivesse dentro dela. Rebolava freneticamente se esfregando sobre mim. Enquanto isso eu falava sacanagens em seu ouvido e ela somente gemia e me arranhava.
- Chama seu corninho chama? Grita ele...
Juliana gemia gostoso e só conseguia falar:
- Você é louco e está me enlouquecendo com isso.
Juliana continuava rebolando e em um determinado momento me implorou para eu colocar meu pau dentro dela.
- Pede safada... 
- Coloca, por favor. Ela disse.
- Pede, diz que quer fuder na frente de seu noivinho.
- Me fode, por favor. Ela pediu com carinha de desespero.
- Diz, diz que quer ser fudida na frente dele diz?
- Me fode. Quero muito ser fudida aqui, na frente desse corno!
Então afastei sua calcinha e ela urrou com a cara mais feliz que já viu uma mulher urrar. 
Rebolava tão freneticamente que quase gozo junto com ela. Gozou aos gritos, esquecendo completamente que estava dentro de um carro, na rua, e mais, na calçada da casa de seu noivo.
Caiu mole sobre meu corpo, meu pau ainda duro dentro dela. Meu tesão era grande e eu continuava a mexer vagarosamente só para mantê-lo rígido, queria mais...
Juliana foi recuperando o tesão e as forças e logo estava novamente me cavalgando. Agora, mais suave, como uma menina apaixonada, seus beijos eram muito mais suaves e freqüentes. Não demorou e o desejo de sexo selvagem retomou nossos corpos e quando ela cavalgava loucamente eu peguei seu celular e disse:
- Disca para ele.
- Não, por favor. Ela assustou-se.
- Disca agora e diz que está com saudades, com tesão e que é para ele te esperar no portão.
- Você ta louco. Disse ela se negando a fazer a ligação.
Ameacei sair de dentro dela.
- Achei que tinha mais coragem, mas você está medrosa demais...Tentamos outro dia então.
- Não! Ela gritou. – Por favor, não para eu to quase gozando novamente!
- Então disca, tão fácil...
Ela discou no viva voz, e falou gaguejando, montada no meu pau o que eu pedi:
- Marcelo está com saudades, quero te ver, estou com muito tesão.
- Você está louca Juliana, o que te deu?
- Tesão, muito tesão, estou louca para gozar, pode acreditar!
- Certo Ju, você não está bem, vou te esperar.
- Agora. Vai agora para o portão. Eu já estou chegando! Rápido. Disse quase gemendo.
- Você ta muito estranha... Mas eu estou indo te esperar. Respondeu Marcelo sem entender o que estava acontecendo com Juliana.
- Satisfeito? Tenho coragem agora?
- Muita coragem. Você me surpreendeu...
Em segundos Marcelo aparecia no seu portão deixando Juliana louca de tesão. Ela rebolava muito gostoso, xingava seu noivo:
- Você nunca vai me dar tanto prazer assim, seu corno. Olha pra mim, olha!
Meu carro com vidros pretíssimos e com o balanço da gostosa cavalgada de Juliana chamava a atenção de Marcelo, que olhava e sorria, sabendo que alguém transava dentro dele e isso enlouquecia a Juliana:
- Olha como o corninho ta adorando saber que você ta fudendo aqui, olha como ele olha pra gente e sorri...
Juliana enlouquecia com seu noivo sorrindo, achando engraçado estarem fudendo ali na sua frente.
- Vou gozar.
- Goza... Estou quase gozando também...
- Goza comigo. Ela pediu.
- Não, eu tenho outra idéia. Goza pra mim, goza...
Em pouco tempo Juliana entrava num gostoso orgasmo, dessa vez, com pequeno medo de ser ouvida, abafou seu grito mordendo meu ombro fortemente.Tirei Juliana de cima de mim e puxei pelos cabelos parar um gostoso boquete. Juliana chupava de maneira selvagem, faminta.
- Goza, vai, estou louco pra te ver gozando, você foi tão gostoso...
Não demorou muito e eu gozei em sua boca. Ela se assustou e tentou cuspir, mas não tinha onde, estava em meu carro e teve o instinto de não sujá-lo. Deixou escorrer pelo próprio corpo. Beijamos-nos gostoso e ela se assustou com minha naturalidade, pois depois me contou que em seu noivo, se ela fizesse sexo oral, mesmo sem ejaculação ele não beijava mais sua boca. Deu um lenço para ela se limpar e arranquei com o carro.
Parei na esquina e mandei:
- Agora vai lá ver seu noivinho, ele está te esperando. Disse com um sorriso cínico.
- Não! Preciso tomar um banho, não posso velo assim...
- Prefere que eu volte e abra a porta lá agora?
- Não, pelo amor de Deus, não faz isso.
- Então desce e vai até lá... Vou dar a volta no quarteirão e quando passar em frente, quero te ver num gostoso beijo...
- Por favor, lobo, ele vai sentir o cheiro o gosto, por favor, não faz isso.
- Vamos desce agora ou desce na porta dele, você escolhe...
Juliana pegou sua bolsa e desceu, estava excitada e o prazer tinha sido tão grande que se seu noivo descobrisse ele que fosse se fuder, ela precisava dessa emoção em sua vida.
Desceu e caminhou sorrindo em direção ao seu noivo, balançando a cabeça como quem não acredita no que está fazendo.
Quando passei em frente da casa Juliana e Marcelo davam um beijo ardente, ela atracada nele como se nunca tivesse sentido tanto tesão e vontade de beijá-lo. Buzinei na passagem e Juliana me acenou sem para o gostoso beijo.
No dia seguinte entrei em meu e-mail e encontrei a mensagem:
”Lobo, nunca vou esquecer o que aconteceu, você apimentou minha vida de modo definitivo. Fiz amor ontem com meu noivo como nunca fizemos antes. Ah, e detalhe, depois ele me confessou que além de eu estar muito diferente e gostosa, ele também estava mais excitado porque tinha um casal fudendo como loucos em sua porta, antes de eu chegar. E isso o deixou muito louco. Será que ele gostaria de saber quem eram? Eu duvido (risos). Nos vemos novamente? Espero que sim, quero muito continuar nossas brincadeiras, Ass. Sua noivinha preferida, Juliana.” 
Se ele descobriu ou desconfiou alguma vez do carro filmado na porta de sua casa sempre antes de Juliana chegar com todo o tesão em sua casa eu não sei, mas no fundo ele gostou. E ela? Amou... Nunca mais parou de fazer...


 

Escrito por Samantha e Jhonny às 22h13
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

 

Essa história que eu vou contar agora aconteceu há dois anos.
Tenho uma prima que na época estava com 14 anos, ela era muito gostoso, peitinho rosado, bundinha rebitada, lábios carnudos, um tesão de menina, toda deliciosa. Ela vivia lá em casa, sempre ficava lá ajudando minha mãe nos afazeres de casa, quando ela estava em casa e ficava com um micro short cravado naquele reguinho virgem, e uma blusinha toda solta e ficava sem sultian que dava pra ver até a marca do biquinho do peito dela, eu ficava louco de tesão com aquela visão maravilhosa, mesmo ficando doido a ponto de explodir eu nuca tive coragem de tentar alguma coisa, mesmo porque ela era muito menina e nunca tinha me dado muita idéia. Mas a coragem veio em um dia que minha mãe precisou sair e ficou só eu e aquela delícia. Então começamos a conversar, papo vai papo vem, a conversa começou a esquentar, até começarmos a falar de sexo, ai perguntei a ela se ainda era vigem, ela respondeu que sim, que nunca tinha tido nenhum contato com nenhum cara, quando ela valou isso meus olhos até brilharam, pensei é hoje que eu como essa gostosa. Chamei-aela para irmos pra piscina, ela topou então nos trocamos e fomos pra lá, começamos uma brincadeira, ela passava debaixo da minha perna e eu passava debaixo da dela, mas sempre que eu passava e ia subir, eu roçava meu pau naquela bundinha gostosa, com isso ela foi se excitando, depois comecei a passar a mão bem de leve pelo corpo dela, vi que ela já estava tremendo, daí então virei e tasquei um beijo nela, que por um momento resistiu, mas segurei-a com mais força ai ela cedeu e se soltou, fiquei só roçando meu pau nela até que ela me chamou para sairmos da piscina e irmos pro quarto, chegando lá arranquei aquele biquíni tendo a visão mais esplendorosa de toda minha vida, comecei a chupar aqueles peitinhos, que delicia, estava quase gozando só de fazer isto, fui beijando todo o seu corpo até em sua grutinha virgem, quente e molhada, fiz ela ficar louca, depois ela retribuiu com um boquete muito gostoso, parecia uma puta profissional, era demais. Então fui subindo novamente e pedi que ela abrisse as pernas, fui forçando meu pau na entrada daquela bucetinha deliciosa e ela começou a gemer, até que enfiei tudo em uma só estocada, ela deu um grito e começou a gemer feito uma louca, fui bombando mais forte, aquilo era um delicia , pedi para ela ficar de quatro, ela me atendeu com gosto, arrebitou aquela bundinha todinha só pra mim, deu uma lambida em seu cuzinho e fui colocando minha pica centímetro por centímetro, comecei a bombar forte feito um louco, ela gemia alto, aquilo me dava ainda mais tesão, ficava rebolando aquela bundinha lisinha, depois de ter arregaçado o seu cuzinho pedi pra ela bater um boquete, novamente ela fez com muita vontade, em pouco tempo gozei dentro daquela boquinha quente, ela não deixou cair nada sugou até a ultima gota, foi a trepada mais gostosa de toda minha vida, comer uma menininha virgem e inocente, até hoje quando nos encontramos sempre relembramos os velhos tempos...

 

Escrito por Samantha e Jhonny às 22h04
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Comendo Minha Vizinha

 

Era um sábado à noite em Recife, tava curtindo uma garrafa de vinho barato na varanda de minha casa vazia...
2 horas e duas garrafas de vinho depois, isso já pelas 03h30min da madrugada, eu vejo surgir no final da rua uma silhueta feminina rebolando sensualmente com uma bolsa na mão...
cabelos soltos na altura dos ombros, negros como a noite que a envolvia, usava uma micro-saia de couro marrom, e uma blusa com cadarço na frente como se fosse um corpete daqueles dos tempos da vovó que teimavam em sufocar um par de seios loucos pra pular pra fora, porém não escondia uma barriga perfeita com pelinhos que segundo minha imaginação desciam até onde mora o tezão.
À medida que ela se aproximava, eu ia notando mais detalhes, pele morena, coxas grossas, alta, 1,75m no mínimo, quadris largos o que denunciavam uma bunda empinada e nada pequena.
Percebi lindos olhos verdes, e pra minha surpresa eu conhecia aquela escultura viva!! Era minha doce e casada vizinha! No dia anterior eu escutei de casa a briga dela com seu marido que culminou com a saída dele de casa, mas o que teria acontecido de tão grave pra que aquela mulher tão respeitável estivesse literalmente vestida como uma prostituta, e cheirando a álcool como naquele momento?
Bom, isso ela mesmo me respondeu com uma voz balbuciante de quem já havia tomado umas oito doses de uísque: 
- Marcos, aquele desgraçado disse pra mim que eu não desperto interesse nos homens... ao que respondi: 
- Isso passa, foi só uma briga de casal...
- só uma briga? Então vc vai querer me convencer que isso é motivo pra que ele me deixe sem sexo por três meses?
Quando ouvi isso, meu sangue gelou... aquilo soou nos meus ouvidos como um convite pra uma noite de sexo, já reparava aquela minha vizinha há algum tempo, mas nunca havia visto ela usando roupas tão reveladoras, nesse momento ela já estava dentro da varanda da minha casa, de frente pra mim, encostada com um pé na parede, eu tava sentado na escada e aquela posição dela revelava suas coxas com pelos loirinhos, e de tão pequenina a saia quase me dava uma visão de sua calcinha, nesse momento, meu pau estava duro e podia sentir minha cueca começando a se melar...
A partir daí pensei: porque não tirar proveito daquela situação, uma vez que ela se mostrava louca pra extravasar o excitação que a enchia e eu pra realizar meu grande fetiche por mulheres casadas, e de quebra, me vingar da minha namorada que havia brigado comigo sem um bom motivo.
Resolvi pôr meu plano em prática... fiz com que ela se acomodasse ao meu lado na escada e ofereci vinho pra ela, bêbada como ela estava, foi fácil deixá-la bem à vontade e passou a se abrir, rir e contar mais da sua vida... tratei de dirigir logo o papo pro lado do sexo e ela deixou claro que desde que casou, vivia de papai-e-mamãe com seu marido, mais surpreso ainda fiquei quando ela me confidenciou que seu marido a chamou de puta quando ela tentou fazer sexo oral nele, e que daquele dia em diante ela não sabia o que era o gosto de uma pica na boca, e tava muito infeliz, pq ela adorava sexo e sexo oral pra ela é o que mais a excita!! Fiquei louco com aquilo tudo, já que adoro sexo oral tanto quanto ela, tratei de deixá-la a par disso... ela rindo muito, me olhou de cima a baixo e me falou com a voz mais sensual que já ouvi: - isso é um convite?, já não agüentando mais aquela situação respondi: - não, isso é uma ordem!
Então ela me olhou fundo nos olhos, largou o copo que segurava e passou a acariciar e apertar meu pau por cima da bermuda fechou os olhos e respirei fundo, enquanto ela falava que queria me ver todo nu pra saber o quanto eu era gostoso (palavras dela... efeito do álcool hehehe!)
Levantei e tirei a camisa, sou moreno claro, tenho 1,83m de altura, peso 82 kg, tenho cabelos e olhos castanhos, freqüento academia, por isso tenho um corpo forte, tenho 26 anos e ela me revelou que tava fazendo 29 naquela noite, meu pau mede uns 18 cm, eu acho, nada descomunal como os de alguns contos que li nesse site, mas é bem grosso, minha namorada vive reclamando disso!
Sugeri que fossemos pra dentro de casa e ela aceitou entrando na frente... tranquei a casa, me certificando que ninguém havia nos visto entrar, ela sentou no sofá, e me puxou pra ficar em pé de frente pra ela... abriu minha bermuda, abaixou até o pé, e ficou apertando meu pau e falando coisas que só ela entendia... meu tesão era tamanho que a cabeça do meu pau tava saindo da cueca por cima, ela ficou passando o polegar na abertura e espalhando o melado que escorria dele, e perguntou com voz de menina dengosa: - Marcos, deixa eu matar meu desejo? Quero muito esse pau na minha boca!! Não respondi, apenas segurei sua cabeça e tentei meter em sua boca, ela não deixou primeiro tirou minha cueca, me deixando todo nu, surgiu um pau duro e melado na frente dela, ficando a poucos centímetros do seu rosto, em seguida ela passou a lamber minhas coxas de baixo pra cima metendo a língua entre minhas virilhas até que colocou minhas bolas na boca... Nossa! Que delícia! O calor daquela boquinha pequena e molhada engolindo meu saco quase me fez gozar, meu pau pulsava e meus quadris faziam movimentos inconscientes de vai-e-vem como se já fudesse sua buceta. Ficou assim um bom tempo, e depois seguiu lambendo do saco até a cabecinha, engolindo por completo, chupou, chupou, chupou e tirou da boca deixando um fio de baba da ponta de sua língua até a cabeça do pau, e falando que tava louca de saudades daquele gostinho segundo ela: (gosto de macho) que a enlouquecia nos seus sonhos eróticos. Segurei sua cabeça e passei a bombar e fuder sua boca feito louco, ela segurou o pau com uma mão e sugar com muita força! Me sentia metendo numa buceta virgem tamanha era a pressão q meu pau sofria daquela boca gulosa... 2 minutos nesse movimento e um jato de porra grossa enchia sua boca, eu tava gozando! Meus olhos reviraram, minhas pernas enrijeceram, tentei tirar meu pau de dentro pra gozar o que faltava no seu rosto, mas pra minha surpresa, ela fez algo que nenhuma outra mulher fez antes: ela engoliu meu pau até o talo fez ele sumir todinho dentro da boca encostando os lábios nos meus pelos pubianos, sentia a cabeça do pau descer e encostar na sua garganta, segurou minha bunda com as duas mãos não permitindo tirar meu pau de dentro de sua boca!! Sinceramente, eu nunca gozei como naquele momento e talvez jamais volte a gozar de novo!! Cheguei a gritar de tanto tesão, e meus movimentos de estocadas fortes foram diminuindo, diminuindo, e quando parei, ela foi tirando o pau de dentro da boca e lambendo como se quisesse prosseguir uma nova chupada, caí deitado no sofá com as pernas duras quase dando câimbras, e ela rindo me disse: - Você acha que depois de tanto desejar um pau na boca, eu perderia um leitinho tão gostoso? Gargalhou, bêbada, e me pediu cerveja, prontamente trouxe as cervejas e depois de uns 25minutos já tínhamos tomado quatro latas cada um e eu fui ao banheiro, quando voltei ela tava dormindo deitada no sofá, sua saia havia subido revelando um volume enorme embaixo da bela calcinha rendada, dourada e de lacinho que ela usava, meu pau voltou a ficar duro, me aproximei e aquele cheiro de cerveja que exala dela me deixou muito mais louco, passei a acariciar sua xota por cima da calcinha e vi que aquele volume todo era de uma buceta carnuda de pelos ralos, lisinhos e bem aparados, com lábios grandes e pela calcinha encharcada pude comprovar o tesão q ela sentiu quando me chupava... coloquei-me sobre ela e passei a desamarrar o cadarço de sua blusa, até ver surgir um belo par de seios com marcas de biquíni branquinhas contrastando com sua pele morena, os bicos eram lindos e estavam durinhos como faca afiada não resistiu e resolveu chupar ! chupei, chupei, chupei muito, e vi os bicos duros cada vez mais duros... Livrei seu corpo totalmente da blusa e desci chupando tudo no caminho da chuvinha até chegar ao umbigo, me concentrei ali, metendo a língua e fazendo movimentos circulares, esperando q ela acordasse e compartilhasse do tesão que era só meu! Mas o único sinal de vida que ela me mandava eram arrepios pelo corpo...
Resolvi descer até a xaninha alagada dela, levantei mais sua saia e passei a morder e lamber sua buceta por cima da calcinha, aquele cheirinho de buceta melada me enlouquece, puxei a calcinha de lado e um fio de baba da buceta foi junto com a calcinha... louco de tesão, caí de boca e chupei e lambi o quanto pude... penetrava minha língua fundo na xota e sentia as contrações na minha língua, e o gosto delicioso daquela bucetinha apertadinha... chupava os lábios da buceta com força e sentia o clitóris enrijecer na minha boca, nesse momento o corpo dela se contorcia e ela erguia os quadris como se quisesse ser penetrada pela língua... com o pau já muito duro, resolvi ir mais mundo naquela delicia que tava babando de tesão, dormindo como estava, aquele mulherão tava muito pesado... ajeitei-me no sofá, pus suas pernas nos meus ombros e vi meu pau se enterrando e sumindo naquela buceta ... o barulho de melado que fazia me deixava pirado, tava adorando fuder aquela mulher maravilhosa enquanto ela dormia!! Dava um ar de estupro, já não queria que ela acordasse, passei a bombar com grande velocidade, como um cachorro quando trepar numa cadela... o suor escorria, seus seios balançavam, o barulhinho de melado, eu chegava a tirar e botar o pau inteirinho dentro dela, metia com muita vontade e até com uma certa violência... aí ouvi ela sussurrar baixinho: - to gozandoooooo! Vi seu corpo se arrepiar e sua buceta contrair com força meu pau, o tesão era imenso pra eu parar naquele momento! GOZEI!!! Gozei muito, e com muita força!! Gozei vendo ela morder os lábios e chupar a própria língua!! Gozei em espasmos fortes, longos, gozei tudo dentro dela!! Bem no fundo daquela xota! Meus quadris prosseguiam bombando inconscientes depois de tanto gozo, a cabeça da pica doía... eu caí sobre ela exausto e molhado de suor, sentir seus braços me enlaçando e seus bicos dos peitos ainda duros contra os meus...
Adormecemos assim...

No domingo pela manhã fui despertado por ela (Ana) repetindo a chupada que ela havia feito horas atrás.
Aí tive a certeza que apesar de ela estar bêbada, estava muito consciente do que fizera!!
Desejei pra ela um bom dia, mas ela me interrompeu dizendo: - cala a boca! , o único som que quero ouvir de sua boca são seus gemidos!! Nossa ! que tesão me bateu!! Dessa vez eu não me deixei gozar!! Tirou o resto da roupa, e ficou ajoelhada no sofá com o rosto pra parede e a bunda bem empinada, e me puxou pra me posicionar atrás dela, quando tava posicionando pra enterrar de novo naquela xota, pra minha surpresa, ela pegou meu pau começou a pincelar o buraquinho do cu! Imaginei: ora!! Se o marido não deixava ela nem chupar um pau, seguramente aquele cuzinho nunca tinha vista uma pica!
Voltei com força a enterrar na xota, fazendo ela e conseqüentemente me melar junto, baixei e chupei com tesão aquele cuzinho, tentava penetrá-lo com a língua, mas era muito apertado pra isso... levantei e atendi seus pedidos pra que eu fizesse dela mulher. Comecei a forçar mas a cabeça grande do meu pau dificultava, aí falei pra ela parar de tentar sugar meu pau com o cu e fazer o contrario, tentar expelir!! Ai sim senti a cabeça enterrando dilatando aquele cu... o corpo dela tremia e ela me xingava de desgraçado e que eu tava rasgando ela em duas bandas...
Mas finalmente e pau entro até a metade e comecei a movimentar num vai e vem e cada vez mais lubrificado, a dor que ela e que também eu sentíamos passou a ser prazer, só prazer!! Segurei seus peitinhos e passei a bombar com força e rapidez e ela pedindo pra q eu gozasse q ela não tava agüentando de dor!! Via sangue no meu pau e resolvi parar!! Ela se voltou pra mim e disse:
- se vc parar agora eu mato vc!! Me fode porra!! Rasga meu cuzinhooooooo!!! 
Ouvindo isso, eu enterrei o Maximo que pude e comecei a gozar com estocadas fortes, gozei muito!! Ficamos grudados como cachorros depois da trepada..., algum tempo depois fui tirando o pau de dentro e vi escorrer porra e sangue entre suas pernas... eu sentei no sofá e ela entre minhas pernas... ficamos abraçados um tempo... com versamos um pouco e depois fomos tomar banho...
Depois que ela se vestiu, veio até mim pra se despedir e só aí ela veio e me beijou!!
Saiu em seguida, a rua tava deserta, fiquei na varanda olhando ela entrar em casa, e nesse momento percebi feliz da vida que não havia sido só mais uma trepada, eu havia ganhado uma amante!!


 

Escrito por Samantha e Jhonny às 21h58
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

17/09/2008


Jhonny em o conserto do computador de minha amiga!

Em uma sábado de sol, uma amiga me chamou para formatar o computador dela, esta amiga é uma das melhores amigas de minha mulher a Samantha e não sabe que somos um casal de relacionamento aberto, visto que ela é de uma tradicional família do interior do estado, com uma criação muito tradicional. Mais eu sempre tive uma intenção maliciosa nela, pois é uma loira muito linda, com olhos verdes e seios fartos, uma voz sexy e um ar de sensualidade que exala de todos os poros mesmo ela não se apercebendo disso.
Então fui, quando lá cheguei ela me recebeu com aquela alegria de sempre, perguntou por Samantha, que estava em casa de familiares, e subimos para seu apartamento, lá chegando fui direto para o computador, e ficamos conversando enquanto eu formatava o computador, a conversa começou a tomar um rumo meio estranho, começamos a falar de sexo e de putaria, ela me perguntou como Samantha gostava de gozar e coisa e tal, e qual posição eu gostava mais de comer ela, e se eu já havia traído minha mulher, eu falei que sim varias vezes e com o consentimento dela, foi quando expliquei para ela do nosso relacionamento, ela ficou estática e ao mesmo tempo percebi que se excitou com aquilo, depois de três horas de serviço terminei o computador, e já pronto para ir, pedi água mais uma vez, ela me trouxe e perguntou, “Quanto de devo amigo?”, eu respondi , “Nada amiga, amigos são para essas horas!”, ela perguntou ainda, “Mais você não quer mais nada mesmo?” ai eu respondi, “Quero sim... Um beijo na boca?”, ela sorriu colocou a garrafa de água na mesa e se aproximou de mim, dizendo,” Você quer mesmo?”, não respondi, fui logo beijando, ela me aceitou e me abraçou com força, logo paramos e nos olhamos, ela disse fica ai que vou pegar algo para você, e entrou, depois de alguns instantes ela me chama, “Jhonny vem aqui me ajudar?”, ao chegar ao quarto minha surpresa, ela estava de baby dool preto com uma sinta liga por baixo, de matar não pensei em nada, a peguei nos braços e a levei para cama, e comecei a chupar seus seios, que tanto desejava há tempos, desci para sua barriguinha de pelos loiros dourados, e então cheguei à sua bucetinha bem lizinha, quando minha língua encontrou seu clitóris, foi uma explosão de sentidos, tanto meu quanto dela, os murmúrios de prazer, palavras inaudíveis saíram de sua boca, tamanho era seu tesão naquele momento, em um movimento rápido nos viramos para uma posição que ela também podes se me chupar, e quando sua boca tomou meu pênis, me senti um homem Realizado poderia morrer naquele momento, sua língua percorria toda a extensão do meu membro, a boca parecia querer engolir o danado, não me contive e coloquei-a de frente para mim e comecei a penetração, olhando nos olhos dela, ela me olhava com um desejo que nunca havia percebido nela, comecei a fazer movimentos de vai e vem lentamente, ela me puxava para cima dela me pedia para meter forte, foi o que fiz, comecei a bom bar com força, enquanto minhas mãos seguravam seus seios lindos e firmes, puxei-a para cima de mim, queria ver aquela deusa cavalgando, com aquele corpo dourado, ela subia e descia extasiada de prazer e tesão, começou a gozar encima do meu pau, rebolava como uma louca, gritava e dizia que queria mais, foi quando coloquei ela de quatro, segurando no espelho da cama, fui estocando meu pau bem lentamente, ela rebolava e pedia para eu a foder gostoso, comecei a fudê-la com força, peguei seus cabelo cumpridos que serviram de arreio para aquela potranca selvagem, puxa seus cabelos e dava tapas em suas nádegas, que logo ficaram vermelhas ela rebolava cada vez mais rápido gozando como uma louca no meu pau, dizendo que eu era o único homem que a vez gozar dessa maneira, me pedindo para botar com mais força e disse que queria sentir meu gozo nos seus seios, ouvindo isso disse, “prepara que já vou gozar minha deusa!”, ela em um movimento rápido colocou-se de joelhos e eu joguei naquela pele branca e lisa todo meu gozo e meu tesão, ficamos um tempo nos olhando e não acreditando naquilo que aconteceu, ela perguntou se eu ia contar para minha mulher, eu disse que não escondo nada dela, mais que ela não se preocupasse, pois a partir desse momento nossa amizade começou uma nova etapa muito mais gostosa...

Escrito por Samantha e Jhonny às 00h51
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Jhonny na Parada Gay!

Neste último domingo, aconteceu aqui em minha cidade, Recife – PE, a parada gay na praia de Boa Viagem, e eu e minha esposa Samantha, resolvemos ir à praia não tínhamos nos apercebido que era o dia da bendita parada. Quando chegamos à praia, vimos toda aquela movimentação e procuramos nos informar, foi quando ao saber da parada, algo me ocorreu, deu aquela vontade de comer um traveco, e fiquei sondando pelas redondezas para sacar algum que já estivesse por aqui por causa da parada, não comentei nada com a Samantha, queria aquela experiência sozinho tinha que dar um drible nela, pensei. Logo avistei aquela que seria minha vitima do dia, ela estava com um biquíni preto, fio dental com os cabelos negros e na cintura, olhos verdes e pele morena jambo, era uma visão do paraíso.
Fiquei de longe admirando, sem que Samantha se apercebesse fiz sinal e me mostrei interessado em conhecê-la, mais ela sinalizava que para minha mulher ao lado, eu fiz um sinal que não tinha nada haver. Foi quando começou o desfile na avenida e Samantha, para minha felicidade quis ir assistir, então fomos no meio da multidão nos perdemos, fui em direção ao calçadão quando, alguém me pega pelo braço dizendo, “hei Gostoso cadê sua mulher?”, eu respondi “ deve ta por ai dançando e se divertindo!”, ela me diz com cara de safada, “ e você não quer se divertir também?”, não dissemos mais nada, ela me levou para seu apartamento que ficava na outra rua, subimos e ela foi logo me jogando no sofá dizendo, agora você vai ter a melhor chupada da sua vida, colocou meu membro para fora e começou a sugá-lo, com maestria e desejo, nunca tinha sentindo algo daquela magnitude, talvez por causa de estar fazendo algo que nunca fiz, de repente ela tira a roupa e vejo que ela esta excitada pois o então pênis que estava preso agora estava livre, eu coloco ela de quatro no sofá, e como vou colocando bem lentamente no cuzinho dela, enquanto ela toca uma punheta gostosa dizendo, “me come seu puto safado...”, ouvindo isso enfio com força ela grita de tesão e prazer, começo a bombar mais forte, e a puxar seus cabelos e apertar seus seios macios, fico sentado e ela senta no meu pau, ai fui ao delírio, ao ver aquele corpo lindo bronzeado subindo e descendo no meu cassete, não resisti e comecei a punhetar ele, enquanto o comia gostoso, quando senti que ia gozar tirei e coloquei nos peitos dela, ela foi ao delírio, esfregou meu pau entre seus seios e me olhando nos olhos me disse “ ninguém nunca me comeu com tanto desejo!”. Ficamos conversando um pouco e logo disse que tinha que ir encontrar minha mulher, e que outro dia queria comer as duas juntas, ela me disse que adoraria, mas essa é uma outra história que logo que acontecer vou relatar para vocês meus leitores. Tchau!!!!

Escrito por Samantha e Jhonny às 00h46
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

13/09/2008


Par Perfeito Existe?

Samantha & Jhonny – Par Perfeito existe??

O Jhonny sempre me perguntou isso, no começo do nosso namoro ele argumentava que suas outras parceiras não gostavam de suas saidinhas, eu já nem ai pra isso acontecer fui conhecendo ele e ele a mim, com o tempo ele viu com quem estava se envolvendo e acabamos aceitando nosso relacionamento aberto, nada forçado, só quando realmente queremos ai fazemos. Rsrsrs
Quando eu conheci Jhonny foi tudo muito rápido, ele esse jeito galinha e eu nunca fui santa, mesmo quando frequentava a igreja (para quem leu a estória sabe)....
Jhonny me conheceu através de uma amiga, ficamos na balada e marquei para ele ir lá em casa, já que eu passava os fim de semanas sozinha.
Toca o Interfone. Ele chegou! Deixei subir. Enquanto ele pega o elevador, checo os últimos detalhes: cabelos escovados, pele cheirosa, boca pronta para o que der e vier. No quarto, a cama à espera, a luz bem leve. Para completar o clima, coloco um CD (se ele for n gostar, toca baladinhas, techno, para agitar um pouco; se for gostar, prefiro Jota Quest, Emerson Nogueira, uma coisa mais romântica). Visto uma saia bem cur¬ta e provocante, com um top que valoriza meus seios. Tudo fácil de tirar. Ou de ser tirado. Calço sandálias bem altas. Não que me importe de ser baixinha. Faz parte do meu charme. Toca a campainha. Atendo. Ele entra. Me beija no rosto e se faz de tímido. Mesmo sem precisar, faço o mesmo. Pego ele pela mão e o levo até o sofá. Em clima de namoro, a conversa começa e logo ruma para a putaria.
"Hoje, quero te pegar de jeito, por trás."
"Mas você quer minha bu... ou meu c...?"
"Eu quero tudo", ele responde no meu ouvido en¬quanto passeia sua mão pelas minhas coxas.
Malandro do jeito que é, Jhonny não se contém, Sua boca ofegante roça o meu pescoço; sinto a barba por fazer, enquanto com minhas mãos entre suas per¬nas sinto o mundo virar pedra. Com um puxão dele, o top desliza e meus seios pulam para fora. Como quem descobre um novo brinquedo, deixo que ele segure firme, mas com carinho. O bico do meu seio fica intumescido com aquela língua atrevida passean¬do pela auréola. Sinto sua respiração quente, ofegan¬te. Lambe um seio, depois o outro, junta os dois com as mãos, querendo encher a boca como um garoto guloso. Na confusão de roupas tiradas com pressa, ele puxa minha calcinha e desce com a boca até o umbigo. Pára. Me olha com um jeito sacana.
"Você quer que eu te chupe?"
"Quero."
"Agora ou depois?"
"Você é quem sabe... A língua é sua." "Mas a bu... é sua."
"Então, quero agora."
Gozei muito, sem precisar de nenhum esforço in¬terior. Foi bom de verdade. E estava só começando.....
Ele continua do mesmo jeito.....
essa continuamos mais tarde!!!

Escrito por Samantha e Jhonny às 00h49
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Jhonny e a Coroa!

Meu nome é Jhonny, na época tinha 22 anos. Trabalhava a noite em uma empresa prestadora de serviço. Minha estória começa quando conheci Abigail, uma senhora de 43 anos, evangélica, gordinha mas muito bonita. Eu a olhava e percebia que ela sempre estava me olhando também. Ela tem duas filhas quase da minha idade e é separada. Certa vez, quando estávamos conversando, ela me disse que uma amiga sua estava viajando e havia deixado a chave do apartamento com ela, pois era mais perto do serviço e dava para ela descansar mais. Aquilo para mim foi uma deixa. Perguntei se ela não queria companhia e sorrindo ela respondeu que sim, achando que eu estava brincando. Na hora de irmos embora fui andando atrás dela e quando já estávamos bastante afastados dos outros, ela se virou e disse para eu não brincar daquele jeito com ela, pois ela não agüentaria. Nisso ela entrou no prédio e ao chegar no elevador, agarrei-a e comecei a beija-la, acariciando sua bundona. Ela gemia e dizia que não estava acreditando. Chegamos no apartamento e continuamos os beijos já tirando as roupas. Fomos tomar banho e antes de entrarmos no box, sentei-a na pia e enfiei meu pau em sua buceta, que já estava encharcada. Ela gemeu alto e começou a chorar de tanto prazer que estava sentindo. Nisso ela desceu da pia, virou-se de costa para lavar o rosto. Eu a abracei e comecei a beijar sua nuca deixando-a ainda mais louca. Peguei um creme de cabelo que estava sobre a pia, passei no meu pau, e meti naquela bundona gostosa. Ela não acreditava no que estava acontecendo. Gemia de dor e prazer, rebolando em meu caralho, pedindo que eu metesse mais. E eu obedecia aquela que tinha a idade da minha mãe. E ela rebolava e eu metia, metia, metia até que enchi aquele cuzinho com meu sêmen. Fomos tomar banho e ela começou a me chupar com meu pau ainda ereto passando a mão em minhas bolas. Fomos para a cama ainda molhados e pedi para ela esfregar a buceta em minha cara. Ela não recusou e começou a fazer movimentos de vai e vem sob meu rosto quando senti aquele líquido delicioso escorrendo. Era mais um gozo que saia de minha potranca junto com um grito de prazer. Ainda no êxtase ela sentou em minha pica que estava como uma rocha e começou a cavalgar e gemer e gritar até gozarmos juntos, porém ela saiu de cima e chupou toda a minha porra não desperdiçando nada. Daí fui para casa e volta e meia nos encontramos para darmos uma trepada.

Escrito por Samantha e Jhonny às 00h42
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

A Escapada!

Ola!! Pessoal Sou Eu Samantha!!!
Estou aqui de novo. Vou contar a vocês o que aconteceu comigo neste fim de ano 2007 na casa da minha cunhada, estávamos todos conversando com a turma ai aparece bem na minha frente o filho da minha vizinha com um amigo um jovem aparentando 19 anos mais ou menos moreno corpo atlético alto, o filho da minha vizinha me apresentou, seu nome Geraldo ou o geraldão, mais tarde vim saber porque daquele apelido, bem ele me deu um beijo no rosto e me falou você é muito bonita, eu gelei. Meu marido Jhonny não estava naquele momento, depois estava sozinha e ele veio conversar comigo me elogiando cada vez, mas, falando que eu era muito bonita para esta sozinha na festa eu falei que meu marido estava na casa dos amigos mais tarde estaria comigo, mas ele falou que se encantou comigo e gostaria de me conhecer melhor, eu depressa dei meu telefone para ele, assim ele me ligar na quarta feira que meu marido iria viajar, bem quando chegou na quarta feira ele me ligou para eu ir em sua casa, acabei aceitando. Quando fui me arrumar já estava cheia de tesão toda molhada, resolvi não colocar calcinha (o que é comum pra mim) e ir com uma saia bem curta e um sapato bem alto ( que eu adoro).
Quando eu cheguei fiquei impressionada... Como aquele homem beijava bem, suas mãos eram grandes e sua boca enorme, parecia que ele ia me comer toda com aquela boca. Ele começou a tirar minha roupa e beijando cada pedaço, colocava meus peitinhos quase todo dentro daquela boca, eu já molhada de tesão peguei a mão dele e coloquei na minha bucetinha ele levou um susto de como estava molhada e meu grelinho duro e começou chupando seus dedos sentindo meu sabor e caiu de boca na minha xaninha... Nossa como ele chupava bem!!! Que língua tinha aquele homem... Lambia o grelinho, a bocetinha e meu rabinho. Parecia que ele queria botar tudo dentro da sua boca. Nessa hora olhei para o pau dele já estava quase fora do short quando eu vi aquele cabeção caí de boca, era enorme, mais ou menos 23 cm, e lindo a cabeçona chegava a brilhar. Mamei tão gostoso, o melei todinho com minha saliva inclusive o saco que estava com os pelos bem cortadinhos.
O meu moreno gemia como um cavalo no cio, vendo que ele ia gozar tirou o pau um pouco da minha boca para sentir os jatos quentes na minha língua (adoro fazer isso) engoli o que pude, o resto que estava na minha cara ele lambia e me beijava de novo, com aquele linguão voltou a me chupar gozei muito rápido na sua boca, meus peitinhos ficaram durinhos e minha xaninhas teve contrações que ele conseguiu sentir com a língua, aquilo o excitou de uma maneira incrível, quando olhei para seu pau não acreditei estava durão de novo.
Nesta hora ele me colocou de quatro em cima do sofá, passou o pau bem na entrada e começou a meter devagar e rebolando, adoro homens que enfiam rebolando, ele tirava o pau e metia tudo era uma loucura, me fodeu muito, ele tinha muita disposição.
Gozei gostoso naquele pau grande ele mudava de posição era maravilhoso, de frente de lado, tinha hora que ele parava e mandava-me chupar aquele pauzão, ele melava muita boca o tempo todo. Na verdade eu gosto de comandar, mas daquele dia o deixei fazer o que quisesse.
Depois de me comer bastante minha xaninha e me pediu para colocar no meu rabinho não tive como recusar estava com muita excitação, então ele pegou um creme lambuzou o pau e o meu cuzinho e começou a entrar, não com força, mas devagar, passou mais creme e, alisando meu grelinho, que esta hora estava duríssimo e todo melado, foi entrando devagar e me dando um prazer incrível, meteu gostoso, quando eu senti que ele ia gozar, dei uns tapas nele e pedi para alisar mais ainda meu grelinho. Ele gemia gostoso não agüentei e gozei junto com ele. Nunca vi um homem gemer tão gostoso... Gozamos juntos, senti aquele homem amolecer atrás de mim e cair sobre as minhas costas. Foi uma loucura.
Quando me dei conta já esta na hora de eu ir embora pois meu marido já ia chegar. Só deu tempo de tomar um banho e deitar na cama. Saí com meu moreno várias vezes, mas sou casada e não posso fazer isso com meu marido gostosão ele até deixaria meu morenão me comer desde que ele também participe rsrsrs..,

Escrito por Samantha e Jhonny às 00h35
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Pular a cerca é culpa da Genética?
EU o Paulo e a Bruna... rsrsrs

Sempre fui criada por meus pais e eles bem certinhos, ou quase.
Minha mãe sempre me passou uma imagem boa da vida, e meu pai mostrava nas puladas de cerca como era bom aproveitar a vida. Cada um de sua forma, mas cada um me ensinou algo. Papai tinha 02 amantes, minha mãe nem desconfiava ou fingia que não via, eu nem me importava mais com isso, todas as vezes que tentava dizer papai me dava um presente para eu esquecer e dizia,’’ minha Filha isso faz parte’’. Quem era eu para reclamar papai??
Hoje não sei se isso é genética, mas de SEXO eu GOSTO e MUITO.
Vocês nem imaginam como minha vida mudou depois de casada, o Jhonny por ter que ir viajar a trabalho me deixou sozinha em casa e meu vizinho quis se aproveitar da idéia, e eu também. Me convidou para uma festinha em sua casa, eu topei, Como a noite estava gostosa, e fazia tempo que eu não usava vestido, escolhi um que, na verdade, é ape¬nas um pedaço de pano: tem um decotão na frente e é do comprimento que cobre apenas o bumbum e a buceta. Aproveitei para ir com uma sandália de amarrar na perna. Queria arrasar. E, claro, consegui.
Mas logo achei estranho pois ele chamou uma de suas amantes para participar da festinha os três. Uma mulher muito interessante – e entendida do riscado. Não era bonita, porém me acendeu. Ela chegou e me olhou, com elogios naturais a gente se entendeu, meu vizinho percebeu e foi gostando da idéia de ter duas mulheres em sua sala podendo ceder para ele à hora que ele quisesse, Mas se eu não me controlo, e a amiguinha dele também, quase que ele fica "na mão", literalmente. Claro que eu não ia deixar isso acontecer... Mas ela se mostrava mais interessante que ele. Ficamos lá os três no sofá, eu e ela desfrutando do mesmo e ele sozinho fazendo os Drinks, eu conversei com ela e perguntei se seus olhares para mim queria me dizer algo, ela sorriu e disse ‘’O que você imaginar eu faço o dobro’’ Eu estava quase levando ela para minha casa e encerrando a festa do meu vizinho, mas me contive.
Os Drinks eram cada vez mais fortes, e eu me motivava cada vez mais pela conversa e pelos assédios de Bruna, ela me tocava na nuca enquanto ele mostrava o seu volume endurecido que nessa hora pouco me importava, beijei a Bruna e vi meu vizinho ir ao delírio, que me empolgou mais ainda por ela, enquanto ela me beijava, ele a tocava por dentro de sua saia, vi que ela queria me sentir, então deitei mais um pouco no sofá e deixei que ela me chupasse, o Paulo logo pediu que eu ficasse de quatro e com ele me comendo, cavalguei gostoso e gozei. Não pela cavalgada, mas pela língua de Bruna, logo me deixei tomar pela luxuria do momento, e quando me vi já estava chupando a Bruna enquanto meu vizinho safado me comia, eu gemia ao sentir aquele macho me possuindo e ao mesmo tempo me deliciava com o néctar dos deuses que saia da bucetinha de Bruna, que gemia e se contorcia com minha língua em seu clitóris já intumescido de tanto prazer, Bruna disse que queria ser penetrada, ai trocamos de lugar, fiquei largada enquanto ela me chupava e era penetrada pelo meu vizinho safado, que visão magnífica eu tinha, via Bruna sendo penetrada com gosto e ao mesmo tempo olha para aquela fêmea maravilhosa me chupando e olhando nos meus olhos querendo que eu visse nos olhos dela o desejo que sempre teve por mim, ela me chupou com tanto gosto que gozei inúmeras vezes em sua língua. Foi um momento inesquecível gozamos muito e repetimos esta festa outras vezes...

Escrito por Samantha e Jhonny às 00h30
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

23/08/2008


Sonhando acordado!!!

Bom foi assim que aconteceu, conheci uma gata de 19 anos toda linda fiquei de quatro por ela, ela e morena cintura fina, peito mediano, perece uma índia, toda gata. Marquei de levar ela para o motel, peguei ela no horário marcado e partimos eu estava louco pra comer e ela doida pra dar, mal entrou no carro já foi pegando no meu pau que já estava duro como uma pedra e começou a punheta-lo que coisa gostosa dirigindo e sendo punhetado pela coisa linda, ela não demorou muito e começou a chupar. Que boquinha parecia veludo muito macio, no meio do caminho eu já estava louco quando ela me pediu pra ir buscar uma amiga foi ai que eu pirei de vez, fomos à casa da colega que por sinal era no mesmo estilo só que loira cara que coisa maravilhosa pensei que ia comer uma e ganhei, mas essa de brinde, ela cedeu o lugar pra loira que já foi chupando meu pau eu já não estava agüentando, mas e quase gozei, mas consegui me segurar, chegamos no motel tratei de chupar as duas que estavam meladissímas foi quando a loira pediu pra eu ficar olhando elas duas se chupando cara elas se chuparam durante uns dez minutos gozaram varias vezes e eu ali vendo de camarote, foi quando eu invadi a loira que estava com a bunda para alto ela deu um gritinho, mas eu não quis saber comecei a fazer o movimento cada vez, mas rápido quando ela gritou que estava gozando ai eu aumentei, mas o movimento e ela gritou mais alto e começou a gozar igual a homem que loucura, a índia ficou só olhando e se masturbando sai de loira e pulei pra cima dela dei um beijo muito gostoso posicionei meu pau na grutinha que já estava em brasas e empurrei para delírio dela que se mexia como uma louca no cio a loira veio e deu a buceta pra ela chupar, dela pra ela e depois me dava pra chupar ficamos assim um bom tempo, botei ela de quatro chupei gostoso o cuzinho e com calma introduzi meu pau bem devagar enquanto a loira chupava a buceta dela, ela gritava que estava muito bom e eu socando todo o meu pau naquele cú apertado hora rápido hora devagar para delírio dela que gozou e eu como não sou de ferro gozei na boca de loira que fez o papel de limpar tudinho, fomos tomar banho e começou o chupa chupa no banheiro. Logo fomos pra cama fiz um 69 com a loira e a índia se encarregou de chupar as bolas, que coisa de louco chupar uma bauxita ser chupado por duas isso e muito bom, logo a índia foi descendo e começou a chupar meu cú ai foi Fonda a loira dava um trato no pau e a outra lambia meu cú cara isso e bom demais, foi quando se perceber ela colocou o dedinho e foi escorregando pelo meu cú, me deu um calor que foi foda nunca tinha sentido nada igual estava vendo estrela de tanto tesão, a loira saiu por um instante, quando voltou ela estava com um pau de borracha eu louco de tesão nem dei conta que elas queriam me comer foi quando a loira se posicionou na porta do meu cú que há essas horas não parava de piscar ela colocou na entrada e empurrou bem de vagar foi quando a índia botou a buceta na minha cara e fez um 69, eu chupava ela, ela me chupava e a loira me comia cara e muito bom ser comido e chupado ou mesmo tempo ai, mas por duas gatas como elas, ficamos assim uns dez min. quando ela me colocou de quatro e cravou tudo de novo no meu rabo ela socava bem cadenciado hora devagar hora rápido e a outra chupando muito gostoso botava tudo na boca e ficava um tempo, foi quando de repente me deu um puta calor fiquei igual a uma puta no cio e gozei, mas gozei muito na boca da índia que não segurou a onda e deixou a vazar gozo por todo lado, mas foi muita porra que botei pra fora parecia um cavalo cara gozei muito gostoso como nunca havia gozado na vida. Isto sim e sonhar acordado.

Escrito por Samantha e Jhonny às 21h36
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Comi a amiga da minha sócia.

Meu nome é Jhonny, sou moreno, olhos e cabelos castanhos, O fato que vou narrar é verídico e aconteceu no sábado (27/08/05).
Cheguei do meu trabalho que fica na Cidade Recife e ficamos conversando por algum tempo eu e minha sócia, até que chegou a Isa, uma amiga da minha sócia, uma morena de aproximadamente 45 anos, mãe de dois filhos, alta, tipo mignon muito gostosinha. conversamos bastante e sempre rolavam olhares entre eu e ela, lá pelas tantas ela disse que iria tomar banho, visto que ela ia dormir na casa da minha sócia(que fica ao lado da minha). Depois de uns dez minutos eu fui jantar, estava lá sentado na cozinha quando Isa sai do banheiro só enrolada numa toalha (que coxa), ela ficou muito sem graça ao me ver eu disse a ela "assim eu não agüento” ela deu um sorriso bem safado e saiu da cozinha.....
Acabei de jantar ela passou por mim deu um sorriso e foi pro bar que fica em frente, levantei fui lavar meus talheres e minha sócia entrou na cozinha dizendo que a Isa queria me dar uns beijos, e eu disse "manda vir aki pra ela ver" e não é que ela foi mesmo? Quando a Isa chegou estava em pé ao lado da geladeira ela já chegou me beijando, e, diga-se de passagem, que beijo, meu pau ficou duro na hora... Ela sentiu e começou a esfregar sua bucetinha em mim, ela estava de calça jeans e camisão de seda verde puxei ela contra meu corpo e enfiei minha mão por baixo do camisão em suas costas, ela gemeu baixinho dizendo que me queria, quando mordi sua orelha ela se transformou numa putinha, ela se virou e comecei a morder sua nuca, ela pegou minhas mãos e levou uma no seu seio e outra na sua buceta,eu esfreguei sua bucetinha por cima da calça e ela gemeu, eu não agüentei e levei ela pro quarto, e coloquei ela sentada numa mesa que tem lá. Ela sentou de pernas abertas e eu encaixei no meio delas encostando meu pau naquela buceta quente, abri seu camisão e ela estava sem sutiã com os mamilos duríssimos vendo aquilo fiquei louco e cai de boca neles, ela gemia e pedia pra ser comida de qualquer jeito, chupei um e depois outro demoradamente enquanto ela fazia cafuné em mim, fui descendo por sua barriga até chegar perto da calça, eu abri e me deparei com uma tanguinha azul linda de renda ela levantou sua bundinha e eu tirei sua calça e sua calcinha deixando ela peladinha na minha frente, e comecei a chupar aquela bucetinha depiladinha, só tinha uma fileira de pelos lindos, toda meladinha, escorria de tanto tesão, mordi o grelinho dela e ela foi ao delírio, gozou na minha boca. Então ela disse que queria chupar meu pau, ela deitou na mesa e virou de lado eu cheguei e ela abocanhou meu pau como uma bezerra com fome, que chupada, fui aos céus, quase gozei na sua boca, quando anunciei o gozo ela disse que queria que eu gozasse na buceta dela....
Coloquei ela de quatro e fiquei brincando com meu pau na entrada da bucetinha dela, ela empurrou sua bundinha e meu pau entrou de uma só vez (tem uns 19 cm), comecei os movimentos de vai e vem devagar e fui acelerando aos poucos, fiz um baita esforço pra segurar o gozo....... Mas fiquei firme ali até que ela pediu pra mudar de posição, eu deitei na mesa e ela veio me cavalgar apertava seus seios e ela gritava como uma louca, dizendo que estava com tesão, que meu pau era uma delicia, que queria eu só pra ela, eu preocupado em alguém chegar, mas ela não tava nem aí... Disse que queria comer seu cuzinho, mas ela disse que tinha medo de doer, eu disse que iria devagar, ela relutou, mas como com um pouco de xaveco tudo dá certo, ela topou.......coloquei ela de lado e fiquei atrás dela, segurei meu pau e fui forçando a entrada e ela dizendo que estava doendo, mas não recuou, foi difícil, mas a cabeça entrou era muito apertado,ela começou a chorar pedindo pra eu parar que estava doendo muito........parei e mudamos de posição, ela deitou de barriga na mesa, deixando as pernas pra fora, ficando de quatro, como estava muito molhada enfiei meu pau na buceta dela pra usar seu caldo como lubrificante, segurei bem meu pau e fui forçando a entrada ela pediu pra parar, mas eu continuei quando ela disse que não queria mais a cabeça já tinha entrado e eu empurrei o resto com força, ela desabou sobre a mesa ficando largada, ela deu apenas uma gemida de dor e eu fiquei parado até ela se acostumar com o volume naquele cuzinho apertadíssimo, comecei a bombar bem devagar, ela gemia, fui aumentando o ritmo devagar e em pouco tempo fodiamos com vigor ela dizia pra não parar que estava muito bom, enfiei a mão por baixo dela e fiquei mexendo no seu clitóris, ela gozou gostoso e então foi minha vez de gozar, comecei e bombar rápido e gozei no cu dela, inundando aquele buraquinho de porra, chegou a escorrer, foi lindo, ela pegou meu pau gozado e chupou tudo deixando ele bem limpinho. Nos vestimos e voltamos pro bar, tudo mundo viu nossa cara de cachorrinho sem dono e logo entenderam a demora...
Mas a semana que vem tem mais, depois conto pra vcs. Abraços pros homens e beijos calientes pras mulheres.........
ME MANDEM EMAILS...... E COMENTEM O BLOG

Escrito por Samantha e Jhonny às 21h33
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Nordeste, RECIFE, BOA VIAGEM, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, English, Sexo, Sexo
MSN -

Histórico